sexta-feira, 16 de abril de 2010

COMO EDUCAR OS FILHOS

A CRIANÇA DE 9 ANOS:



Por Élide Camargo Signorelli Atualizado em 1/1/2006

No artigo anterior, TÃO SIMPLES E TÃO PROFUNDO, fiz algumas reflexões a respeito de um e-mail que recebi de um pai de um menino de nove anos, sobre uma mudança no seu interesse em relação à escola nesse momento de sua vida.

Fiz uma primeira abordagem, detendo-me na questão amorosa como base de todas as relações.

Penso que seria produtivo explorar um pouco algumas características da criança de nove anos, para podermos compreendê-la melhor.

Do ponto de vista sexual, a criança, de 5 a 10 anos, encontra-se numa fase que Freud chamou de latência. Ou seja, é uma fase em que os impulsos sexuais estariam adormecidos, mascarados por novos interesses. A criança se afasta, então, temporariamente dos interesses sexuais e essa energia psíquica passa a ser utilizada para o fortalecimento do ego, e para o desenvolvimento da inteligência.

Se tudo correu razoavelmente bem no seu processo de amadurecimento mental e sexual, a criança apresenta um franco movimento em direção ao estabelecimento das relações interpessoais fora da família. É onde aparecem as turmas, os grupos com seus códigos próprios de comunicação, valores, regras, apelidos etc.

As meninas e os meninos tendem a se agrupar separadamente, formando os famosos clubes do Bolinha ou da Luluzinha, que existem para reforçar as características femininas ou masculinas.

A convivência em grupo é muito importante, pois contribui para a reafirmação da auto-estima, para a expressão de impulsos e para modificação de certos mecanismos da criança.

Ela volta-se para a identificação com ídolos, heróis e professores, todos esses substitutos dos pais.

O pensamento, nesse momento, ganha uma estruturação mais sistemática e a criança possui autocrítica mais aguçada e torna-se mais determinada nas suas ações.

Com a motricidade em menor evidência, ganham espaço os jogos de regras, e as coleções de objetos.

A moral, nessa fase, é autônoma. Ou seja, a criança apresenta uma capacidade maior de pensar, julgar, porém com um certo grau de confusionismo, embora sem a agressividade característica do adolescente. Costuma ser prestativa e dá muita atenção às solicitações do meio externo. Em relação à escola, destacam-se, então, os amigos como principal fonte de interesse e atividades que fujam da rotina, que apresentem desafios e criatividade.

Como se trata, então, de um momento em que há um avanço no desenvolvimento geral, a criança de nove anos fecha um ciclo da infância, tornando-se mais independente e capaz de ser responsável por suas tarefas e atividades. Cabe aos pais, portanto, a tarefa de levarem isso tudo em consideração, e criarem, de uma forma mais consistente, uma reformulação nas relações com a criança, tendo sempre em vista uma maior independência.

Como estamos a um passo da pré-puberdade, tudo em volta vai adquirindo, sutilmente, um clima anunciador dessa nova fase que encerra definitivamente o período da infância. Os pais estão frente a um novo luto, agora da criança que vai dando lugar ao adolescente. É algo que ocorre gradualmente, o que favorece a possibilidade de uma constante elaboração, da criança e dos pais, para que possa haver uma readaptação das condições familiares e extrafamiliares a favor de um desenvolvimento saudável da criança.

A escola fica com o desafio de acolher essas mudanças, com o compromisso de buscar alternativas que conservem a criatividade, fundamental para o aproveitamento do potencial riquíssimo que a criança apresenta nesse momento de sua vida. Favorecer um ambiente em que a sociabilidade possa se desenvolver também é importante.


--------------------------------------------------------------------------------

Élide Camargo Signorelli, psicóloga com formação psicanalítica pelo C.P.CAMP, Centro de Psicanálise de Campinas, e especialização em adolescência pelo Departamento de Psiquiatria da FCM da UNICAMP.

e-mail: elidesig@terra.com.br


NÃO CONSIGO EDUCAR MEUS FILHOS! SOCORRO!

Mediante as dificuldades cotidianas de se educar os filhos, vê-se a necessidade de agir com maior rigor, utilizando-se de um planejamento a ser compreendido e discutido entre todos aqueles que convivem com as crianças. É importante criar um método que ajude no processo educacional dos filhos. Não obstante, agir organizadamente traz mais harmonia para dentro dos lares, além de gerar a gostosa sensação de se estar cumprindo a vital missão: educar o ser humano para uma vida mais plena.

Faz-se necessária a lembrança de que a educação infantil deve acontecer em casa, e que à escola compete a formação acadêmica, acrescida de alguns valores. Portanto, é um casamento de forças educacionais e não um jogo de empurra-empurra, no qual a criança deixa de ser educada e de quebra sente-se um transtorno. A educação leva tempo, não ocorre da noite para o dia. Ela é um processo. Não somos máquinas programáveis, somos gente, que necessita de desenvolvimento e maturidade para tornar a vida melhor.

Os últimos tempos têm dado amostras de resultados desastrosos de uma educação com baixos limites em sua estrutura, além da bola-de-neve dos relacionamentos ruins que são desenvolvidos, parte como conseqüência deste equívoco. Contudo, a natureza é especial, e as possibilidades favoráveis são ilimitadas. Para aqueles que despertam com nova esperança em seus corações, encontrarão força para fazer a diferença, de seu jeito particular, próprio de cada família.
Destacam-se alguns pontos-chave no processo de educação. Eles determinam o grau de êxito em cada caso. São o sacrifício, acordo, objetivos, conhecimento, paciência, firmeza e perseverança. Acrescente outros itens que desejar e melhore ainda mais este encontro de boa vontade na educação dos filhos.

1. SACRIFÍCIO: A tarefa da Educação requer sacrifícios como o da paciência, perseverança e firmeza. Tudo tem um preço na vida. Compreender o resultado do sacrifício ajuda a tornar o custo mais leve. Há tempos as pessoas evitam os sacrifícios, cujo termo significa: privação de coisa apreciada.
2. ACORDO: Todos os cuidadores precisam conhecer e estar de acordo, e agir em parceria. Assim, a força estará concentrada na união e na aprovação sobre a forma de se educar, em comum acordo. A criança percebe o conjunto coerente.
3. OBJETIVOS: Estas tarefas de Educação visam a educar a criança e, conseqüentemente, trazem mais harmonia para o lar. Todos devem ter conhecimento acerca do que se pretende com a educação.
4. CONHECIMENTO: A criança, a partir de 2 anos de idade aproximadamente, testará e contestará os pais, utilizando-se da famosa birra (choro, esperneação, etc) como instrumento para esta finalidade “Quem não chora, não mama”.
5. PACIÊNCIA: Sem a paciência desistimos de nossos projetos, com ela, nos alimentamos diariamente, dando forças para a firmeza.
6. FIRMEZA: Manter a prática firme da educação e criar o seu hábito levam a consistência e a segurança da criança. Lembre-se que o tempo gera o hábito. O hábito gera economia.
7. PERSEVERANÇA: No dia.a.dia é que se constrói a educação, portanto, a sua manutenção persistente é fundamental. A constância permite um resultado bem melhor.

Vale lembrar a questão humana presente na vida familiar: o quanto se está envolvido com os filhos e as influências causadas nos pais em virtude de seus comportamentos. Ou seja, tolera-se ou não certos comportamentos infantis de acordo com algumas experiências passadas dos pais, tais como o choro, as dificuldades, etc. Os pais podem estar “cegos” mediante certos comportamentos dos filhos. A história de vida é singular. Cada um tem a sua, inclusive a criança. Misturar as estações só dificultará o processo educacional, e de convivência. Não é tarefa fácil, todavia vale a pena.

Outra questão é o sentimento de culpa é comum nos pais, em virtude do pouco tempo que passam juntos com os seus filhos, pelo baixo ânimo e paciência que oferecem após um dia de exaustivo trabalho, além do acúmulo de noites mal dormidas, etc. No entanto, a culpa apenas dificulta a educação, diminuindo as chances de se praticar o que é necessário. Os pais acabam invertendo as prioridades, dão o que não deve, a exemplo dos presentes. Não compre os filhos com coisas, compartilhe educação.

Algumas regras colaboram no processo da educação infantil:
1. Estar disposto a certos sacrifícios.
2. Manter comunicação constante. As conversas fazem parte da educação.
3. Não atender as birras, mas aos pedidos.
4. Expor à criança que só será atendida se pedir em tom de voz normal.
5. Evite usar os personagens de televisão para amedrontar ou punir os filhos, faz mais sentido alegar que são os pais ou cuidadores que estão educando.
6. Não voltar atrás.
7. Oferecer algum tempo diário para se dedicar aos filhos, carinho, brincadeiras, etc.
8. Evite a contradição entre o que é dito pelos pais. A criança se sente confusa e dividida.
9. Os pais são o modelo a ser seguido. Pense que tipo de modelo é o seu.
10. Não acredite que o tempo, por si só, dará jeito na situação. Não haveria sentido em existir a educação.

O pedido de socorro emitido pelos pais é compreensível, porém, a criança também grita por ajuda. A birra é uma forma de saciar os prazeres infantis, entretanto, quando atendida, ela agrada e ao mesmo tempo gera um mal estar na criança, que precisa de educação. Quando nos sentimos sem apoio (limites), a angústia é a sensação que expressa tais circunstâncias. O sacrifício de manter a educação é a luta diária que cabe aos pais, e que tem como recompensa a boa formação. Sacrifício requer uma cota de entrega. Em Efésios 5:2, temos: “e andai em amor, como também Cristo nos amou e se entregou a si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus, em aroma suave”.

Pense profundamente sobre a entrega que deseja empreender. O método que persiste é aliviado pelo tempo. A criança aprende e cria os seus mecanismos próprios. Creia nela e em suas possibilidades de educação.


*Armando Correa de Siqueira Neto é psicólogo, consultor, conferencista e escritor. Desenvolve treinamentos. É mestrando em Liderança.
E-mail: selfpsicologia@mogi.com.br

sábado, 10 de abril de 2010

Gravidez, vontade de ter filhos, e estrias de surpresa!


BONITINHO NÉ? E AS ESTRIAS DEPOIS? BONITINHAS NÉ?

VOCÊS HOMENS AGUENTARIAM A DOR FÍSICA? E A DOR PSICOLÓGICA DE VER SUA PELE DESTRUÍDA?REFLITAM BEM, PORQUE NÃO É TÃO SIMPLES QUANTO APARENTA SER. E NÃO PODER EXPRESSAR A RAIVA DE TER A BARRIGA DILACERADA PARA NÃO SER CRITICADA, PORQUE SEMPRE TEM UMA CÚMADRE PRA DIZER QUE VC DEVE AMAR SUAS ESTRIAS PORQUE SENÃO ESTARIA CULPANDO SEU PRÓPRIO BEBÊ PELO ACONTECIDO.





PARA DISFARÇAR, TATTOOS NAS ESTRIAS... MAS SERÁ QUE RESOLVE?

Marcas de estrias sim! Muito humanas!

O ANTES E O DEPOIS DA GRAVIDEZ DE CINDY CRAWFORD, NINGUÉM MERECE ISSO , DEPOIS DIZEM QUE DEUS É MISERICORDIOSO...





De frente

De lado

Katie Holmes too?? Tom Cruise´s wife


Julia Roberts, ela também ?

Cindy Crawford ! Enfim, ela é humana!



quinta-feira, 8 de abril de 2010

Chloe Marshall, a Miss Inglaterra Gordinha




Imaginem uma modelo. Agora pense numa modelo com 17 anos. Gatinha né? Agora adicione à ela, 80kg de peso bem distribuídos em 1 metro e 77 centímetros de altura. Só poderia resultar na delícia que vamos conhecer hoje. Trata-se de Chloe Marshall, a gordinha que impressionou a Europa recentemente após se candidatar à Miss Inglaterra, em meio à mulheres magras, esbeltas e com corpos com IMC menores que os centímetros da sua unha do dedo menor do pé direito.

Chloe não chegou a candidatura de Miss Inglaterra por acaso. Ela venceu, antes, o concurso de Miss Surrey, e não era um concurso tamanho GG não: também concorreu com modelos magérrimas. Agora, querendo ganhar a coroa inglesa da moda, Marshall participou de uma das etapas do concurso de biquini. Isso mesmo, a modelo gordinha apareceu em fotos e imagens com calcinha e sutiã de banho.

A modelo com certeza é um exemplo para todas as meninas que estão acima do peso. Não precisa, é claro, sair se inscrevendo em todo concurso de beleza que aparecer. Muito provavelmente, se você não tiver uma boa estrutura ou um background forte, acaba por ser ridicularizada. Mas ame-se, gordinha, vocês têm o poder!
Filed under: Fotos e Imagens

GG de Gostosa e Gata










Lobos

Uma empresa na Alemanha lançou um curso para melhorar a capacidade de liderança de profissionais que utiliza o comportamento de lobos como exemplo.

As aulas são dadas nas florestas de Brandemburgo, perto de Berlim na Alemanha, entre cavalos selvagens, lontras, alces e, claro, lobos.

Timo é um dos nove lobos selvagens da reserva e, entre as lições que ele oferece estaria a de que um bom chefe não precisa gritar com seus subordinados.

"O lobo dominante não é agressivo. Muitos líderes pensam que são líderes porque têm poder e força para diminuir os outros. Mas isso não tem que ser assim", afirmou Janet Nagel, da empresa Teamaventure.de, idealizadora do curso.

Outra lição é que a matilha se livra do líder se ele não cumprir bem a sua função.

"Ninguém é indispensável."

Para aprender essas lições, os pequenos grupos de executivos observam os mestres em ação.

Para a detetive de polícia Sabrina Doehlert, os lobos realmente têm uma mensagem a passar.

"Quando se vê o respeito entre os lobos, se percebe que este respeito deveria ser comum também na rotina de trabalho. Os chefes têm que respeitar a equipe, e a equipe, os chefes", disse Doehlert.

domingo, 4 de abril de 2010

Amigos para sempre


http://www.youtube.com/watch?v=uvtyuwaMcSk&feature=fvsr
( Amigos para Siempre - Sarah Brightman)
http://www.youtube.com/watch?v=zP-fNdJqP9U&NR=1 Parte 2

(Sarah)I don't have to say


A word to you


You seen to know


Whatever mood


I'm going through


Feels as though


I've known you forever(José)


You Can look into my eyes and see


The way I feel


And how The world is treating me


Maybe I have known you forever(both)


Amigos para siempre


Means you'll always be my friend


Amics per sempre


Means a love that cannot end


Friends for life


Not just a summer or a spring


Amigos para siempre


I feel you near me


Even when we are apart


Just knowing you are in this world


Can warm my heart


Friends for life


Not just a summer or a spring


Amigos para siempre(Sarah)


We share memories


I won't forget


And we'll share more,


My friend,


We haven't started yet


Something happens


When we're together(José)


WhenI look at youI wonder why


There has to come


A time when we must say goodbye


I'm alive when we are together(both)


Amigos para siempre


Means you'll always be my friend


Amics per sempre


Means a love that cannot end


Friends for life


Not just a summer or a spring


Amigos para siempre


I feel you near me


Even when we are apart


Just knowing you are in this world


Can warm my heart


Friends for life


Not just a summer or a spring


Amigos para siempre(José)


When I look at youI wonder why


There has to come


A time when we must say goodbye(both)


I'm alive when we are together


Amigos para siempre


Means you'll always be my friend


Amics per sempre


Means a love that cannot end


Friends for life


Not just a summer or a spring


Amigos para siempre


I feel you near me


Even when we are apart


Just knowing you are in this world


Can warm my heart


Friends for life


Not just a summer or a spring


Amigos para siempre


Amigos para siempre


Means you'll always be my friend


Amics per sempre


Means a love that cannot end


Friends for life


Not just a summer or a spring


Amigos para siempre


Amigos para siempre




Amigos Para Sempre (José Carreras)(Sarah)




Eu não preciso te dizer nenhuma palavra


Você parece até saber qualquer que seja o meu humor


Parece até que sempre te conheci(José)


VocêPode olhar dentro dos meus olhos e ver


Como me sinto e como o mundo tem me tratado


Talvez sempre o conheci(Ambos)


Amigos para sempre


Significa que você sempre será meu amigo


Amigos para sempre


Significa que o amor não pode acabar


Amigos para vida


Não apenas num verão ou numa primavera


amigos para sempre


Eu sinto você perto de mim


Ainda quando você está distante


Apenas por saber que você está neste mundo


Pode aquecer meu coração


Amigos para sempre


Não apenas num verão ou numa primavera


amigos para sempre(Sarah)


Nós dividimos lembranças


Eu não esquecerei


E nós iremos dividir mais


Meu amigo


Ainda não iniciamos


Algumas coisas acontecem


Quando estamos juntos(José)


Quando olho para você


Eu fico imaginando porque


Acontece de chegar a hora de termos que dizer adeus


Eu me sinto vivo quando estamos juntos(Ambos)


Amigos para sempre


Significa que você sempre será meu amigo


Amigos para sempre


Significa que o amor não pode acabar


Amigos para vida


Não apenas num verão ou numa primavera


amigos para sempre


Eu sinto você perto de mim


Ainda quando você está distante


Apenas por saber que você está neste mundo


Pode aquecer meu coração


Amigos para sempre


Não apenas num verão ou numa primavera


amigos para sempre(José)


Quando olho para você


Eu fico imaginando porque


Acontece de chegar a hora de termos que dizer adeus(Ambos)


Eu me sinto vivo quando estamos juntos


Amigos para sempre


Significa que você sempre será meu amigo


Amigos para sempre


Significa que o amor não pode acabar


Amigos para vida


Não apenas num verão ou numa primavera


amigos para sempre


Eu sinto você perto de mim


Ainda quando você está distante


Apenas por saber que você está neste mundo


Pode aquecer meu coração


Amigos para sempre


Não apenas num verão ou numa primavera


amigos para sempre


Amigos para sempre


Significa que você sempre será meu amigo


Amigos para sempre


Significa que o amor não pode acabar


Amigos para vida


Não apenas num verão ou numa primavera


amigos para sempre...

O VALOR DA AMIZADE













O Valor da Amizade ( Reflexões do Pequeno Príncipe)

És responsável por quem cativas... Foi o tempo que perdeste com tua rosa que fez tua rosa tão importante.
O quanto somos responsáveis por aqueles que nos têm como amigos? Vamos relembrar a sensibilidade destas palavras de Saint Exupéry, em seu livro O Pequeno Príncipe:
Se tu queres um amigo, cativas-me! Cativar? É uma coisa muito esquecida. Significa criar laços. Se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos. Os olhos são cegos. É preciso buscar com o coração.
Vale a pena relembrar o diálogo entre o Pequeno Príncipe e a raposa:
"E voltou, então, à raposa: - Adeus, disse ele... - Adeus, disse a raposa. Eis o meu segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos. - O essencial é invisível para os olhos, repetiu o principezinho, a fim de se lembrar. - Foi o tempo que perdeste com tua rosa que fez tua rosa tão importante. - Foi o tempo que eu perdi com a minha rosa... repetiu o principezinho, a fim de se lembrar. - Os homens esqueceram essa verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Tu és responsável pela rosa... - Eu sou responsável pela minha rosa... repetiu o principezinho, a fim de se lembrar."

Costuma-se dizer que ninguém pode escolher a família em que nasce. Mas é possível selecionar os amigos, que são como a extensão da vida. A amizade, um dos sentimentos mais nobres que existe, nasce de forma espontânea, pura e vai se desenvolvendo até chegar à maturidade. Caracteriza-se por uma afinidade muito grande com alguém, baseada no amor, no carinho , na ternura , no respeito, na compreensão, na troca e na ajuda. É um sentimento muito sincero, que não depende da idade, de dinheiro e de posição social.O amigo é um dom precioso. A própria Bíblia diz que “Quem encontrou um amigo, encontrou um tesouro”. A amizade é um sentimento limpo, verdadeiro e profundo. Instiga a pessoa ao apoio e ao incentivo, quando as coisas estão bem; e à correção com muito jeito e carinho, quando estão erradas. Amigo é aquele que está sempre presente, que adivinha o pensamento do outro, sem melindrá-lo; que é sincero e faz da amizade um ponto positivo na vida.No relacionamento diário, entramos em contato com muitas pessoas. Mas o amigo torna-se alguém diferente, especial e único. É visto com outros olhos – uma pessoa por quem a gente torce, vibra e sofre. Está sempre presente nos bons e nos maus momentos; é amado e tratado com muita sinceridade.Além da afinidade, a amizade sólida baseia-se no convívio, na compreensão e na manifestação desses sentimentos profundos. Por essa razão, é um processo, não nasce pronta. A relação deve ser construída e trabalhada dia a dia, por ambas as partes, porque existe reciprocidade. É como cultivar uma planta que, se não for regada com freqüência, morre. A amizade, quando não cultivada, desfalece, esfria e acaba.Quem gosta de outra pessoa não deve ter orgulho. Quando se é amigo, releva-se os defeitos e até o gênio difícil e a impaciência do outro. A compreensão é uma característica da amizade. Os sentimentos são livres e descontraídos, expressos sem cobranças. Numa grande amizade, as pessoas são fiéis. Ao amigo se fazem confidências que, às vezes, não foram feitas à ninguém. Há uma entrega do que se é, pois não há traição nem mesquinharias. O amigo sempre está pronto para tudo e se pode contar com ele em qualquer momento ou situação de vida.Mais que um irmão, o amigo é a oportunidade que Deus dá a cada um para encontrar sua metade. Com ele, a pessoa pode se revelar verdadeiramente: dizer não, sem medo de ferir; sim, sem medo de bajular; e as verdades sem medo de ofender.Isso porque se acredita na amizade, por ela ser isenta de paixão. Num relacionamento assim, não existe inveja, orgulho, rancor ou grandes mágoas. A verdadeira amizade é eterna, como o amor.Com o amigo não existe a censura e o medo de ser por ele conhecido à fundo. Nesse relacionamento, tudo vem à tona: as fraquezas, os limites, os defeitos, mas também vem à tona as grandezas da alma e os aspectos positivos. Tudo isso é aceito, partilhado e vivenciado para o crescimento de ambos.A amizade é uma ligação espiritual, que deixa a impressão de que sempre se conheceu o amigo. Isso ocorre porque ela preenche a outra metade da pessoa. Da mesma forma que se encontra o amor, encontra-se também o amigo. Trata-se de uma preferência de identificação, de carinho, de ternura e de vontades.Atualmente, existem poucas pessoas que têm amigos e se fazem amigas. Há também as que vivem no seu próprio mundo, em que ninguém entra. Outras por timidez, insegurança ou desconfiança, temem se arriscar, privando-se de uma das melhores coisas que Deus criou. Aqueles que são profundamente infelizes, com certeza não conseguiram experimentar a alegria de uma verdadeira amizade. Não se abriram para o outro e morrerão sufocados pelo seu egoísmo.A infelicidade existente no mundo, resulta da incapacidade das pessoas criarem vínculos de amizade e confiarem nas outras. Elas pensam só em si mesmas, revelando-se um egoísmo exacerbado. Não se dão ao trabalho de tentar construir uma amizade; não se arriscam, preferem ficar sozinhas. Há uma carência de sentimentos positivos relacionados às outras pessoas.
POR QUE É TÃO DIFÍCIL ALGUÉM ENCONTRAR O LADO POSITIVO DO OUTRO?QUANDO AS PESSOAS DESCOBRIREM O VALOR DA AMIZADE, A VIDA SE TORNARÁ MELHOR, PORQUE VALE À PENA SENTIR A FELICIDADE DE CONTAR INCONDICIONALMENTE COM ALGUÉM !!!

Elle Francesa faz editorial com modelo plus-size número 48










A edição francesa da revista Elle resolveu ignorar as pesquisas recentes que apontam que as mulheres não ficam satisfeitas ao verem modelos plus-size em editoriais e dedicou um especial de mais de 20 páginas para a modelo Tara Lynn.
A edição de abril chega às bancas nos próximos dias e promete dar o que falar, já que o ensaio conta até com uma foto de Tara nua, evidenciando suas curvas. Se a grande revolta das mulheres em relação ao editoriais plus-size era pelo fato de estamparem modelos número 42, dessa vez todas poderão ficar tranquilas: Tara Lynn exibe um orgulhoso e exuberante 48!

Modelos fora do padrão de magreza